terça-feira, 30 de novembro de 2010

O MENOR CONTO DE FADAS DO MUNDO

Certa vez li um conto de fadas feminino... de uma certa mulher que deixou de beijar um sapo e se delíciou com suas perninhas preferindo ficar solita e ainda degustou de um ótimo vinho branco....


Faz tempo isso, até que hoje recebi um parecido e resolvi compartilhar com algumas chicas e Cabrones que perdem o tempo lendo a minha falta de humor.   :o



O MENOR CONTO DE FADAS DO MUNDO 


Era uma vez um rapaz apaixonado que pediu uma linda garota em casamento:
- Você quer se casar comigo, meu amor?

Ela, insensível e arrogantemente, respondeu:
- NÃO !

Aí o rapaz viveu feliz para sempre, foi pescar, jogou futebol, conheceu muitas outras garotas, comeu todas, visitou muitos lugares, sempre estava sorrindo e de bom humor, nunca lhe faltava grana, bebia cerveja com os amigos sempre que estava com vontade e ninguém mandava nele.

A moça teve celulite, varizes, engordou, os peitos caíram, ninguém quis mais comê-la, ficou sozinha e se fudeu.

Fim 



=D

sábado, 27 de novembro de 2010

¿Por qué no te callas?








Quanto vale o show?
Quanto vale o amor?
Quanto vale então
Fazer das tripas coração?
Quanto vale o som?
Quanto vale a dor?
Quanto vale a culpa
E um pouquinho de atenção?

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Itinerário

E de tudo que fica.
Um pouco que sobra
O nada que resta
A folha que voa
A chuva que cai

O medo que pega
A sede que vem.
A lágrima que desce.
O susto que toma.
A perspectiva que (não há.)
O lanche da tarde.

A foto ao meio.
O chaveiro rosa
A bala na agulha.
As palavras a toa.
A sujeira que se sente.

O chamamé de sexta-feira
O almoço de domingo
O padre que reza
O vento que sopra
A lágrima repetida
A certeza incerta

O Passo no escuro
A certeza do fútil
A transformação antiga
A tristeza que toma
O ser que condena
O ser que despreza

Os atos praticados
As certezas obtidas
A menina na calçada
O menino na cama
A diferença entre eles
E o que os consomem por igual

Da dor existente
Da dor que não existe
da tristeza que fomenta
Da dúvida que divide.
Da postura a ser feita.
Da lágrima repetida.


Do ser que se evaporou
Do lixo que ficou
De tudo que se consumiu
Do que se aproveitou...
Do que amou e não mais sentiu
Do que sentiu e não mais amou.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Conto de fadas moderno em 5 minutos.

Era uma vez. um playboy e uma patricinha, de um reino chamado Fâqbigcamp, próximo ao Alabama.
Ele queria ela, e ela não fazia questão.
Eram de reinos não tão ricos, mas as carruagens e as vestes afirmavam o contrário.

Até ele insistir muito uns 20 minutos em uma balada qualquer em um dia qualquer,e comprar uma garrafa de vodka.
E ela reparar no seu sapatenis Lacoste maravilhoso.


Ela se embriagou( sem querer), ele levou-a para o carro, e comeu.
E no outro dia na internet ela se arrependeu, e sustentou não lembrar de nada.

Ele colocou o nome dela em uma lista imaginária de troféus imaginários.
Se gabou.

Contou para todos os seus amigos.
Achou que foi conquista.
Achou que foi Real.


E todos continuaram hipócritas e malditos para todo o sempre.


_)_ 




terça-feira, 9 de novembro de 2010

Mate amargo.

A todo vapor meu ser ao movimento,
Feliz da china que não me aguentou.
Surtiu efeito logo no fim,
E foi no início que se arrebentou.

Dissemos coisas indizíveis!
Fizemos amor como marginais.
Tiramos do corpo as nossas carnes.
E das almas nossas virtudes!

Qual o remédio que tu tomastes?
Qual o veneno que me padece?
Por que saímos sem perceber.
E só na lágrima restou embate!

E foi de frente que te encarei sem dó.
Do mesmo jeito que hoje me encaro.
Pra não sofrer, não ser mais um, ou ter-te dó!
Pago com honra, pra não quitar mais caro.

E se por acaso nas convicções vier a falhar.
Me conheça homem, humano e viciado!
Pois comigo mesmo sempre tenho a  teimar.
Por nessa vida ser mais um dos desgraçados!

Que se sujam com verdades sem razão!
Que te apelo pela lança em braços rijos!
Que te faço minha presa minha lebre
Que te tiro da tua boca nenhum riso.

Pois me conheço! guasca errante velho de guerra.
Que trai a vida, trai as verdades e as mentiras.
Que carrega tri feliz essas condolências.
Mas que ferido não lhe pede algum auxílio.


Pois me ufano de ser quem eu era!
Pois me alegro de saber quem sou.
vai ser um dia de alegria na primavera...
Em que enterrei em cova rasa meu amor.

sábado, 6 de novembro de 2010

Notícia



O tempo veio hoje me encontrar,parando na minha janela
O tempo só chegou pra me dizer, tudo que não pude perceber
Depois de mudar tanto o que toquei, o tempo vem trazendo algumas marcas
Na rua e no meu coração...

Parece que alguém perde a razão
O tempo passa e nunca me avisou. E agora começa a acontecer
Aqui tão longe, ali bem mais perto de você..
Ferve demais nesse verão.
O tempo choveu fora da estação, Por isso me chamou pra uma conversa
Na rua e no meu coração...

Parece que alguém perdeu a certeza!
O tempo veio hoje me encontrar, ainda quer me dar uma chance
O tempo só chegou pra me dizer...


Tudo que não pude perceber...



O tempo veio hoje me encontrar, Parando na minha janela.
O tempo só chegou pra me dizer




Tudo que não pude perceber.

O tempo veio hoje me encontrar Parando na minha janela...
O tempo só chegou pra me dizer...
Tudo que não pude perceber
Depois de mudar tanto o que toquei
O tempo vem trazendo algumas marcas
Na rua e no meu coração
Parece que alguém perde a razão
O tempo passa e nunca me avisou
E agora começa a acontecer
Aqui tão longe, ali bem mais perto de você
Ferve demais nesse verão
O tempo choveu fora da estação
Por isso me chamou pra uma conversa
Na rua e no meu coração
Parece que alguém perdeu a certeza
O tempo veio hoje me encontrar
Ainda quer me dar uma chance
O tempo só chegou pra me dizer
Tudo que não pude perceber



Depois de mudar tanto o que toquei, o tempo vem trazendo algumas marcas.
Na rua e no meu coração...




Parece que alguém perde a razão!


O tempo passa e nunca me avisou, e agora começa a acontecer...
Aqui tão longe
Ali!
Bem mais perto de você...Ferve demais nesse verão.


O tempo choveu fora da estação
Por isso me chamou pra uma conversa.
Na rua e no meu coração.


Parece que alguém perdeu a certeza!



O tempo veio hoje me encontrar... ainda quer me dar uma chance!
O tempo só chegou pra me dizer tudo que não pude perceber...


O tempo veio hoje me encontrar
Vem me falar de uma chance!   :)

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O Amor.



O amor é gasolina da vida: 
Custa caro
Acaba rápido
E pode ser substituído pelo álcool..

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Finado

Morto.
Sepultado e colocado no lugar do esquecimento.
Meu sentimento a todos os que já foram...
Minha memória a tudo que deve ser lembrado.
E aprendido.

Meu sentimento ao sentimento findo.
Depois da benção o peito amassado
É hora do cerol é hora do traçado
Quem não cobre fica no samba atravessado   Sobe balão no céu rezado.

Nem tudo que morre. Morre de verdade
Nem tudo que vive, tem vida.
Tudo é apenas uma forma diferente de se ver.

Só morre aquilo que não tem o por que de se viver,

"quem já passou por essa vida e não viveu, pode ser mais mas sabe menos do que eu.
Ai de quem não rasga o coração, mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão"

Viver e amar,
Amar e viver...
Nada morre por acaso. nem de véspera...
Saudade de tudo que já se foi e morreu. que fique as nossas boas lembranças.
Saudade de tudo que já morreu e vive!  que fique nossas mágoas mais brandas.

Pedidos e preces viram cera quente...
Pedidos e preces viram cera quente.